top of page

Permitir-se



Permita-se sentir a Dor funda e profunda

que é para saber o que é dor de verdade

e ter a noção das moléstias

dos que sofrem simplesmente feitos sofrer

Permita-se chorar

que é para ver a cor das lágrimas molhantes

e mergulhar-se no olor da tristeza por vencer

Permita-se lavar diariamente a face humana

que é para diminuir a espessura da sujidade

que o vento acumula nos olhos lacrimajantes

e ter o prazer de enxergar a luz das coisas circundantes

Permita-se mijar todo o ódio passional

que é para sentir o alívio de uma ejaculação ardente enjaulada

Permita-se viajar no tempo e nos espaços

que é para gravar o que há de mais belo

que o Invisível criou nos Mundos existenciais

Permita sentar-se à volta de qualquer lareira

e escutar as vozes experientes de dicionários andantes

Permita-se amar uma Mulher palpável e respirante

que é para ter a noção

do que é realmente esse sentimento

que abala o Ser Humano

Permita-se escrevinhar doidices diárias

que é para deixar algo tangível para as futuras gerações

Permita-se ser a essência de cada caminhar existencial

e deixar táctil a estátua dos sonhos da liberdade

Permita-se sair à rua todas as manhãs e noites

e sentir a rebeldia dos jovens afogar-se no álcool

e das jovens que procuram o prazer no Metical dolarizado

Permita-se comprar uma manga bem madura produzida em Mutarara

e saborear o suco saboroso sem adictivos modernos

que provocam cânceres

Permita-se engolir certos desaforos

e ter ideia dos que não têm a noção de respeito mútuo

Permita-se sonhar sonhos sonháveis e do Além-lógica

e na vivencificação diária

abraçar a força das palavras

e conjugar o verbo VIVER no modo sonhável.



Stefan Florana Dick

26.10.2022


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O teu silêncio machuca O teu silêncio fala e diz algo que não apazigua o meu coração O teu silêncio transmite frieza e distância Teu silêncio silencia a minha voz, as minhas vontades, as minhas div

bottom of page